1 de set de 2010

BONS TEMPOS...era o 7 de setembro


Fanfarra do Bernardo Sayão em 1974 (click na foto para ampliar)

Estamos na Semana da Pátria, lembro-me quando era estudante 2 periodos que esperavamos com muita ansiedade, era 7 de setembro e as férias que eram bastante longas era de dezembro à março.


Os preparativos para o desfile começavam com bastante antecendêcia, vários meses antes. a primeira vez que desfilei foi em 70 a seleção tinha ganho o tri-campeonato e a diretora da Escola Batista (Dona Eliacy, Moçambicana) no qual estudavamos resolveu homenagear a Seleção, saimos um pelotão com agasanho da seleção, aquí não vendia malha na época foram feitos de tecidos mesmos.


Depois fui para o Colégio Estado de Goiás e fui convidado para a Fanfarra e foi o ápice para mim, tinha muito envolvimento da escola, alunos e pais. Escolhiam a garota mais bonita da escola para ser baliza.


o pessoal tinha privilegios não precisava assistir aulas nos dias de ensaio e todos os dias iamos ensaiar e havia uma disputa entre as escolas de quem era a melhor fanfarra, Escola Técnica de Comércio, Bernando Sayão, Cristo Rei e outros.


Na vespera então, era aquela ansiedade, com a organização do uniforme, costureira, com os intrumentos esquentavamos pela madrugada no fogo para esticar o couro (era de couro mesmo)


minha mãe preparava um mingau especial, pois era um dia bastante cansativo, naquele tempo o desfile começava no Entroncamento e ia até a Escola Gov. Archer. Bons tempos aqueles, só quem teve uma infância feliz saber como era gostoso.
Na foto a cima o primeiro à direita é Wigson hoje pastor e diretor do cavalo de aço, o segundo é Janio Arley radialista, no centro Célio Louza




Um comentário:

  1. Bom mesmo foi a semana da patria do ano passado. Todo desfile estava lá o ZE RECEITA para divertir-nos.

    Vou fazer um apelo ao ZE DA RECEITA. Volta bitcho, os desfiles sem você é um verdadeiro saco.

    Cazandré

    ResponderExcluir

SUPERAÇÃO: Estudante com dislexia e paralisia cerebral se forma em história

Nem mesmo o diagnóstico de paralisia cerebral, a baixa visão e a limitação motora impediram que o jovem Luiz Garcia, 30 anos, realizasse o ...