29 de mai de 2012

JÁ PENSOU SE A MODA PEGA? Prefeito segura repórter pelo pescoço

O prefeito de Barra do Bugres, Wilson Francelino (PSD), segurou pelo pescoço a repórter que tentava entrevistá-lo (Foto: Reprodução)O prefeito de Barra do Bugres (150 km de Cuiabá), Wilson Francelino (PSD), segurou pelo pescoço uma repórter de TV que tentava entrevistá-lo.

A agressão foi cometida contra a repórter Elissa Neves, da TV Independência (afiliada à Rede Record).

O vídeo do episódio, ocorrido na sexta passada (18) durante um evento esportivo promovido pelo município, foi postado no You Tube e já teve mais de 15 mil acessos.

As imagens mostram quando o prefeito, que é conhecido na cidade como "Wilson Pescador", pressiona o pescoço da jornalista, enquanto fala ao seu ouvido.

Após ser solta, a repórter se queixa da violência, mas o prefeito sorri e adota um tom irônico. "Eu não estou sendo agressivo com você", diz, em um trecho.

A reportagem não conseguiu contato com a repórter. O diretor de jornalismo da TV, Cristiano Rodrigues, disse que foi registrado um boletim de ocorrência por agressão.

Na hora, ela ficou sem reação, sem saber o que fazer. O prefeito não tinha o direito nem de tocar nela, quanto mais apertá-la no pescoço daquele jeito", disse.

À repórter, segundo o diretor, o prefeito disse que só daria entrevista com o microfone desligado ou em uma participação ao vivo no jornal local.

Rodrigues atribui a reação à "cobertura investigativa" que, segundo ele, a TV vem fazendo da administração municipal. "Estamos acompanhando tudo e ele está irritado com isso", disse.

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso qualificou o episódio como uma "agressão covarde e sem justificativa".

"A violência no trato com a colega da profissão deixou a diretoria do sindicato e a categoria indignados", diz a nota.

Também em nota, o prefeito negou que tenha agredido a repórter. "O prefeito aproximou-se da entrevistadora com o fim único de falar-lhe ao ouvido que naquele momento não poderia dar a entrevista", disse, em um trecho.

Ainda segundo a nota, o toque no pescoço teria se dado de forma acidental. "Ao levar as mãos aos ombros da entrevistadora, acabou por alcançar seu pescoço sem a intenção de lhe causar algum mal, o que pode ser conferido nas próprias imagens."

O prefeito acusou a emissora de fazer "oposição explícita" à sua gestão. "As imagens são claras e demonstram que a entrevistadora se manteve tranquila e ouvindo normalmente os argumentos do chefe do Executivo."

Tocando em Frente


Ando devagar por que já tive pressa

E levo esse sorriso por que já chorei demais

Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe,

Só levo a certeza de que muito pouco eu sei

Nada sei.

Conhecer as manhas e as manhãs,

O sabor das massas e das maçãs,

É preciso amor pra poder pulsar,

É preciso paz pra poder sorrir,

É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente

Compreender a marcha e ir tocando em frente

Como um velho boiadeiro levando a boiada

Eu vou tocando dias pela longa estrada eu vou

Estrada eu sou.

Conhecer as manhas e as manhãs,

O sabor das massas e das maçãs,

É preciso amor pra poder pulsar,

É preciso paz pra poder sorrir,

É preciso a chuva para florir.

Todo mundo ama um dia todo mundo chora,

Um dia a gente chega, no outro vai embora

Cada um de nós compõe a sua história

Cada ser em si carrega o dom de ser capaz

E ser feliz.

Conhecer as manhas e as manhãs

O sabor das massas e das maçãs

É preciso amor pra poder pulsar,

É preciso paz pra poder sorrir,

É preciso a chuva para florir.

Ando devagar porque já tive pressa

E levo esse sorriso porque já chorei demais

Cada um de nós compõe a sua história,

Cada ser em si carrega o dom de ser capaz

E ser feliz.

Conhecer as manhas e as manhãs,

O sabor das massas e das maçãs,

É preciso amor pra poder pulsar,

É preciso paz pra poder sorrir,

É preciso a chuva para florir.

                                       Almir Satter

28 de mai de 2012

QUE É ISSO COMPANHEIRO: Só agora Jean Carlo?

Desde do inicio do governo Madeira que ficou bem claro a tendência de aproximação dos governos municipal e estadual, (em nome da governabilidade talvez) e nem por isso incomodou nosso colega vice prefeito Jean Carlo, que continuou os quase quatro anos sem expressar  nenhuma contrariedade com a aproximação do prefeito Madeira e Roseana.

Sabendo que não terá nenhuma chance de tornar-se outra vez vice, não tem mais os padrinhos,( o vice indicado seria outro, lembram)? sai atirando como se fosse verdade tudo isso que disse.  Porque você não falou antes, só agora que sabe que não terá nenhuma chance. Quantas chances teve de indignar-se  publicamente e não fez, quem cala consente ou é conveniente, diz o oportuno ditado popular.


17 de mai de 2012

MORRE DONNA SUMMER

Responsável por alguns dos maiores hits da disco music, Donna Summer morreu na manhã desta quinta-feira (17), aos 63 anos. A cantora sofria de câncer e estava vivendo na Flórida, nos Estados Unidos. "Na manhã de hoje perdemos Donna Summer Sudano, uma mulher com muitos dons, o maior deles sua fé", disse a família da cantora em comunicado divulgado à imprensa local.

"Enquanto choramos sua morte, celebramos em paz sua extraordinária vida e seu contínuo legado. As palavras realmente não podem expressar o quanto agradecemos por suas orações e seu amor por nossa família neste delicado momento", acrescentou a família em nota.

Segundo o site "TMZ", ela sofria de câncer de pulmão e acreditava ter desenvolvido a doença depois de inalar partículas tóxicas durante os ataques terroristas de 11 de setembro, em Nova York. Há poucas semanas, o TMZ foi informado que a saúde de Donna Summer não estava tão ruim, e que sua preocupação era finalizar o novo disco em que estava trabalhando.

Donna Summer esteve no Brasil em 2009 com a turnê do disco "Crayons", seu primeiro álbum de inéditas em 17 anos, cujo single "Stamp Your Feet" colocou a cantora novamente no topo da parada norte-americana. Nas músicas mais recentes, ela deixou de lado a disco music de 30 anos atrás e fez soarem mais próximas de cantoras atuais, como Rihanna, Beyoncé ou Pink.

Summer --cujo nome na identidade era LaDonna Adrian Gaines-- lançou seu primeiro single em 1971 sob o nome de Donna Gaines. A faixa era uma versão de "Sally Go 'Round the Roses", do grupo de mulheres The Jaynetts. No ano seguinte, ela se casou com o ator austríaco Helmuth Sommer, de quem adotou o sobrenome e alterou para "Summer". Com ele, a cantora teve sua primeira filha em 1973. O casal se separou tempos depois.

O primeiro disco, "Lady of the Night", veio em 1974. Boa parte do sucesso de Donna Summer nos anos 1970 foi dividido com o produtor italiano Giorgio Moroder. O trabalho da dupla ajudou a definir a era disco e serve até hoje de influência para nomes da música pop e eletrônica. Juntos, eles gravaram sucessos como "Last Dance", "Love to Love You Baby", "I Feel Love" e "Bad Girls". Outro clássico de Donna Summer é "Hot Stuff" (1979), que faz parte da trilha sonora da novela "Avenida Brasil", da TV Globo.

A carreira de Donna Summer foi coroada com cinco Grammy, incluindo os de melhor performance vocal feminina em rock e melhor gravação dance, e seis prêmios American Music Awards. Apelidada de "Rainha da Disco Music", a própria cantora chegou a zombar da nomeação em uma música de seu último álbum. "Foi um jeito de rir do fato dessa imagem de rainha ter prevalecido por tanto tempo", disse ela na época do lançamento sobre a música "The Queen is Back".

Em julho do ano passado, ela se reuniu em um estúdio de Los Angeles com seu sobrinho, o rapper e produtor O'Mega Red. Juntos, eles lançaram a música "Angel".

Além da música, Summer também se aventurou no cinema. Em 1978, ela atuou no filme "Thank God It's Friday" como uma cantora aspirante de disco. Na década de 1990, Summer ainda apareceu na série de TV "Family Matters".

Nos anos 80, Donna Summer se casou com o vocalista do grupo The Brooklyn Dreams, Bruce Sudano, com quem teve duas filhas.

14 de mai de 2012

ROTINA: Assaltantes espalham terror durante viagem



Passageiros e o motorista de um ônibus da Transbrasiliana, que ia de São Félix do Xingu a Imperatriz (MA), estiveram na manhã desta quinta-feira (10) na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil informando que foram assaltados por volta da meia-noite, nas proximidades de Água Azul do Norte, na BR-155. Segundo as vítimas, três assaltantes, todos encapuzados, fizeram a abordagem do ônibus e realizaram o assalto, que durou aproximadamente uma hora.

“Ao chegarmos a um povoado, nós íamos devagar por causa da quantidade de buracos na estrada, e três elementos entraram na frente. Eu parei, e eles dominaram o carro”, informou o motorista Neurivaldo Nunes de Araújo, de 34 anos. Os bandidos, armados com pistola, revólver e uma metralhadora, fizeram o motorista conduzir o carro por aproximadamente cinco minutos pela rodovia até ordenarem que ele entrasse numa vicinal.

“Andamos por dois quilômetros, e eles já mandaram todos descer. Depois que roubaram tudo, disseram para todo mundo entrar no ônibus e seguir viagem, dizendo ‘motorista, o pessoal vai entrar no ônibus rápido e pode vazar daqui’”, relatou o condutor. Enquanto o ônibus era manobrado, os três se enfiaram no matagal ao lado da vicinal. Neurivaldo trabalha na empresa há apenas sete meses e este já é o segundo assalto que ele sofre nas estradas. Os sustos agora são somados a muitos outros, pelos quais ele passou quando era funcionário de outras empresas.

TIRO NO ÔNIBUS

Os passageiros relaram que os bandidos fizeram um disparo de arma de fogo assim que abordaram o ônibus. Eles não agrediram ninguém, mas pareciam muito nervosos e permaneceram exaltados todo o tempo. Celso Ferreira de Souza, de 31 anos, vinha de Tucumã para Marabá e comentou que permaneceu de longe, prestando atenção em tudo o que acontecia. Segundo ele, quem mais sofreu foram os passageiros que estavam na frente e ficaram todo o tempo próximos dos criminosos.

“Eu fiquei sempre longe deles, tinha muita gente no ônibus, aproximadamente 30 pessoas. Eles colocaram todo mundo para fora e recolheram tudo o que os passageiros tinham. Acho que se alguém não obedecesse, eles teriam atirado para matar. Perguntaram ainda se tinha policial dentro do veículo porque, se tivesse, eles iam meter chumbo”, relatou o passageiro.

Apesar de não terem agredido ninguém fisicamente, Celso recorda que os sujeitos amedrontaram bastante as vítimas. “Fiquei muito mal na hora e pensei que iria morrer no meio daquele mato e naquela escuridão. Pensei que fosse meu último dia. A gente vê tanta coisa ruim por aí”, lamentou. Celso teve dinheiro, relógio, celular e todas as suas roupas roubadas durante a ação.

Luciana dos Anjos Lima, de 24 anos, ia de Ourilândia do Norte para Imperatriz e também passou por maus momentos. “Eu pensei que fosse morrer porque foi muito ruim. Eles estavam violentos e xingavam todo mundo”, informou, visivelmente assustada com o que passou. Ela confirmou o ódio demonstrado pelos bandidos em relação às forças policiais. “Perguntaram se tinha algum policial porque eles iam 'meter fogo' se tivesse”, declarou. Luciana teve dois celulares, óculos e perfume levados pelos bandidos. “Eu não tinha nada de muito valor”, finalizou

Sinceramente, o Brasil atual tem jeito?

Que olha a cena político-social-econômica atual se pergunta sinceramente:o Brasil tem jeito? Um bando de ladrões, travestidos de senadore...