28 de ago de 2010

1989 A PRIMEIRA VISITA DE LULA À IMPERATRIZ


Ontem assistindo o programa eleitoral e vendo LULA pedindo votos com tanta desenvoltura para Lobão, João Alberto e Roseana e chamando de companheiros de primeira hora, veio um filme na minha cabeça e transportei-me no tempo com saudossismo quando da sua primeira candidatura ele veio à Imperatriz.
Quantas mudanças de lá pra cá. Mais por influência de meu irmão Célio, que por ideologia era filiado ao PT, nunca fui um militante aguerrido era mais um sonhador que propriamente um militante, (viver é melhor que sonhar, diz o cantor Belchior) eram poucos os petista da época, lembro-me como era dificil ser petista havia muito preconceito para com eles. O presidente do PT era Profº Deuzimar Negreiros, (sempre na sua bicicleta cargueira carregando seus livros e militantes) Jomar e Terezinha já eram lutadores (sempre no seu velho e bom FIAT panorama) um único carro que um petista tinha, muito util. Miramar, Célio, Uilio, João, Dinalva, Adilene, Ary, Virgilio, Mané e Manezinho, Valdinar, Querubina, Nobre e outros. Como foi dificil trazer o Lula aproveitando um viagem à Serra dos Carajás ele veio até aquí. Um Comicio numa tarde de sábado e muita gente na Praça Brasil e no final do comicio tiveram que fazer uma vaquinha para ajudar nas despesas de viagem do candidato

A mobilização foi muito intensa apesar de não tê dinheiro para o carro de som e a contra-informação que os aliados de Collor (os mesmos que hoje Lula chama de companheiros) passaram que Lula iria mudar a cor da bandeira brasileira, iria ocupar as casas com mais de 2 quartos com familia de sem tetos, iriam invadir fabricas, propriedade rurais, iria mandar matar os aposentados para não pagar o beneficio da previdência social.

Até o material Impresso foi rateado pelos militantes pois não tinha outro jeito, ninguem tinha dinheiro, lembro que para fazer uns adesivos cada simpatizante tinha que comprar o seu.
Como mudaram as coisas, os velhos companheiros ficaram para trâs sem nenhum sentimento e respeito (como diz a música alguém tem que perder para outro entrar no jogo) por tudo que fizeram para hoje Lula chegar onde chegou, aqueles sonhos de uma geração toda foi de certa forma desfeita e trocados por outros interesses, mais muitos não deixaram seus ideais de uma sociedade mais justa e continuam na luta e outros desistiram no meio do caminho.

A ilusão é a primeira de todos os prazeres (Oscar Wilde)

27 de ago de 2010

IMPERATRIZ FICARÁ ORFÃ NA CÂMARA FEDERAL


Não sou Comentárista nem Cientista politico, apenas eleitor preocupado com o quadro que se desenha. Depois de vinte e tantos anos, sempre elegendo candidatos domiciliados em nossa cidade, corremos o sério risco de ficar sem nenhum representante na Câmara Federal. Faltando pouco mais de trinta dias não vemos nenhum candidato de nossa regiao com possibilidades de vencer. Vamos analisar os três mais conhecidos:

Edmilson Sanches: bom cidadão, correto, inteligente mais não emplacou e não vejo com possibilidades de ser eleito, precisaria de mais de sessenta mil votos, e nem seu partido fechou em torno de seu nome e houve muita indecisão que também prejudicou sua campanha. É um candidato pouco conhecido (como politico) no resto do Estado.

Davi Alves Silva Júnior: Não sei como se encontra fora daquí, pois na nossa cidade não terá o mesmo desempenho da eleição passada, extremamente tímido, péssimo em comunicação e acabou a comoção que seu nome deu na eleição passada por parecer fisicamente com seu pai, as aparencias acabaram aí.

Terezinha Fernandes: Pessoa humana fantástica, trabalhadora, mais não terá com certeza o mesmo desempenho que teve quando foi eleita deputada, os tempos são outros, sumiram muitos apoios e a militancia do seu partido não tem a mesma empolgação de antes.

4º Aparecem vários candidatos de fora dizendo que representarão a nossa região, não é a mesma coisa, não tem o mesmo compromisso, a maioria das vezes passarão apenas por cima da cidade, de avião indo para São Luis. Bom é quando o candidato tem residencia na nossa cidade, encontramos na banca do Chico, do Mariano, comendo panelada no Cruzeiro do Sul, comprando cuscuz, orelha nas esquinas pela manhã.

5º Lindeberg Davi, Miramar, Dejane Alves Silva (um Alves Silva é pouco?) e outros...

6º Infelizmente o Prefeito Madeira não conseguiu juntar seu aliados e liderados em torno de seus candidatos o que estamos vendo é uma grande debandada para todos lados, depois ficará muito difícil juntar... Como sei que ele não pode obrigar ninguem, mais a unidade pelo menos do seu partido teria que existir e é nesta hora que a figura de um lider aparece.

espero que eu esteja errado .

"O que me preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons". (Martin Luther King)


Comentaremos depois os Deputados Estaduais.

26 de ago de 2010

DE NOVO A MESMA ESTÓRIA: Maranhão pode eleger dois suplentes a senador

Pelo que espalham os correligionários da governadora Roseana Sarney, caso ela seja reeleita, o vice-governador João Alberto será chamado para ocupar uma secretaria de estado, e se Dilma Roussef for eleita presidente, o senador Edison Lobão deverá retornar ao Ministério das Minas e Energia, mas se isto for verdade a propaganda em que os dois pedem voto um para o outro está equivocada.

Em vez de pedir que o eleitor primeiramente vote em Edison Lobão, João Alberto deveria dizer que o voto será para Edinho Lobão, primeiro suplente do pai, e Lobão, ao retribuir a gentileza, deveria alertar que o voto, na verdade, será para o deputado Clóvis Fecury, primeiro suplente de João Alberto, ou seja, o Maranhão poderá ter dois senadores que não receberão um voto sequer.

DECADÊNCIA NO FUTEBOL NÃO É SÓ AQUÍ: Estádio do Clube do Remo é leiloado


Mais de seis meses após o Conselho Deliberativo do Remo aprovar, em uma votação esmagadora, a venda do Estádio Evandro Almeida, o Baenão, por R$ 33,2 milhões, para as construtoras Agre e Leal Moreira, a negociação obteve na segunda-feira passada a aprovação da Justiça do Trabalho. De acordo com a juíza Ida Selene Braga, titular da 13ª Vara do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 8ª Região, responsável por intermediar a transação, o negócio será homologado apenas no dia 21 de setembro, quando as empresas compradoras apresentarão o projeto de construção da Arena do Leão e farão o primeiro pagamento - especula-se que o valor inicial depositado será de R$ 1,6 milhão.

"O acordo assinado na segunda-feira é uma promessa de pagamento pelas construtoras Agre e Leal Moreira. Com isso em mãos, já se pode considerar que o Baenão está vendido, mas o pagamento só começará a ser realizado a partir do dia 21 de setembro, com depósitos de forma parcelada na Justiça do Trabalho. Além disso, vinculamos a homologação do contrato de venda à apresentação do memorial descritivo (projeto funcional do estádio com informações sobre técnicas de construção, normas de segurança, capacidade e acesso de público) pelas construtoras", explicou a magistrada, para quem a alienação do bem era o melhor caminho para evitar que o clube perdesse seu estádio em um leilão judicial.

"Na verdade, não foi o Remo que fez a negociação e sim a Justiça do Trabalho. O Baenão iria ser vendido de qualquer maneira. O estádio estava penhorado, assim como está a sede social e a sede náutica. O Remo apresentou a alternativa de um comprador que se comprometeria a pagar as dívidas, que já chegam a quase R$ 8 milhões. Não teria outra alternativa", esclareceu.

Segundo a juíza, a dívida do Remo com a Justiça do Trabalho, que inclui processos já julgados relativos ao não pagamento de salários e outros direitos trabalhistas, somava até o final da tarde de ontem, R$ 7.913.880,16. "É bom deixar claro que este é o valor que temos hoje. A cada dia, isto aumenta por conta da correção monetária", ressaltou Braga.

No entanto, lembrou a juíza, o Remo terá ainda mais benefícios com o negócio. Além de se ver livre das cobranças judiciais e dos bloqueios de renda e cotas publicitárias, o clube ainda ganhará um novo e moderno estádio com capacidade para 22,5 mil pessoas - a Arena do Leão - e um centro de treinamento com três campos de futebol e academia.

"O valor total que será pago pelas construtoras é de R$ 33 milhões. Isso porque, além desta dívida trabalhista, estão incluídos R$ 18 milhões para a construção da Arena do Leão, academia e centro de treinamento, mais R$ 6 milhões para a compra do terreno", lembrou a titular da 13ª Vara do TRT da 8ª Região.

Ainda segundo a juíza, as construtoras terão um prazo de dois anos para entregar o estádio ao Remo. Até lá, o clube continuará a utilizar normalmente o Baenão. "Tomamos o cuidado de deixar tudo bem explicitado no acordo. O Remo continuará a ter o usufruto de seu estádio até o momento que a nova arena esteja concluída dentro dos padrões definidos pelo memorial descritivo", esclareceu Braga. "Caso o acordo não seja cumprido dentro do prazo ou das normas estabelecidas, as construtoras estarão sujeitas a pagamento de multas", destacou.

24 de ago de 2010

A oposição diz que Dilma não é Lula. Lula afirma que ela é ele


O presidente Lula é o avalista de Dilma Rousseff. Ele garante aos eleitores que ela é competente e tratará o Brasil da mesma forma que vem sendo tratado pelo seu governo. A continuidade de uma mudança que seguirá com a primeira mulher a dar as ordens no Palácio do Planalto. Essa é a promessa construída pelos marqueteiros da candidata. E dá-lhe "Lula Dilma" na TV.

Com a popularidade viajando em céu de brigadeiro, Lula vai transferindo votos à estreante em disputas eleitorais. Logo de cara, o mais alto cargo da República. Há uma imensa responsabilidade assumida por Lula. Ele deposita total confiança numa pessoa e assina um cheque em branco para Dilma governar o Brasil a partir de janeiro de 2011.

Não é o PT quem faz campanha para continuar no poder. É "Lula Dilma". E como seria essa pessoa hoje eleita presidenta do Brasil? Subserviente ao criador? Independente? E ele, vai deixá-la em paz ou meterá a colher sem ser chamado?

Lula levou 12 anos para se sentir realmente preparado para governar. Está certo que fez estágio na oposição. Dilma teve a oportunidade de conhecer e mexer na máquina pública. Passou por dois ministérios (de Minas e Energia e Casa Civil) e ganhou fama de gerente durona, uma mãe que afaga e distribui broncas quando necessário.

Um experiência suficiente? O homem que avaliza a primeira mulher mais próxima de se tornar presidenta bem poderia dizer a todos os brasileiros no rádio e na TV: "Se Dilma decepcionar vocês, nunca mais votem em mim."

Justiça anula provas da PF contra a família Sarney


A Justiça invalidou parte das provas obtidas por interceptação de e-mails em operação realizada pela PF quando investigava negócios e movimentações financeiras do empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney. A decisão atinge, segundo advogados e juízes ouvidos pela Folha, cerca de 10 mil e-mails que possuem o domínio "@mirante", usado tanto pela família Sarney como pelos funcionários do Grupo Mirante, empresa que reúne rádios, TVs e jornal no Estado do Maranhão. A PF pediu, e a Justiça à época autorizou, a quebra do sigilo de e-mails registrados em nome do grupo. Agora, a Justiça entendeu que, ao fazer isso, a PF teve acesso a mensagens de todos os funcionários do grupo e não apenas dos que eram alvo de investigação.

21 de ago de 2010

CAMPANHA POLITÍCA EM IMPERATRIZ DESMOTIVADA


Desde de muito tempo eu não lembro de uma campanha politíca tão desmotivada aquí em Imperatriz como essa. Vários fatores levam a esse panorama:

1º A nível nacional é quase certa a vitória de Dilma ainda no 1º turno, salvo remotissismas chances de 2º turno que acho difícil. Lula seu principal cabo eleitoral elegeria qualquer um que apoiasse os números dizem isso a maior aprovação de um Presidente no Brasil. Só que deixou um estrago na sua História muito grande.

2º Ideológicamente perdemos a identidade tanto à nível nacional como estadual, Lula esfarcelou a esquerda no Brasil, principalmente o seu partido (o poder justifica os meios, dizem...) a militancia que fazia a diferença não existe mais, vai demorar muito tempo para a esquerda se reoganizar de novo no Brasil. ( não me venha com teoria de nova ordem mundial) a maioría se fascinou pelo poder (mensalão, dinheiro na cueca, denuncias sem serem apuradas e etc...)

3º Homens que dedicaram suas vidas pelo um ideal ficaram para trás, sem nenhum tipo de respeito pelo seu passado. MANOEL DA CONCEIÇÃO que diga quanto tá sofrendo.

4º Nível estadual as coisas estão piores: Nunca tinha visto tanta pulverização de candidatos aquí em Imperatriz com agora, o candidato pode pedir voto onde quiser eu sei, só que existia um certo respeito pelos candidatos da terra, (Maranhão do Sul, Bairrismo mesmo) agora não. Não houve por parte de nossos lideres empenho para isso acontecesse. tem uma candidata Francisca Primo voces conhecem? tem mais estrutura que qualquer candidato daquí. É fufucinha, Cleber não sei de que, Pinto não sei da onde.
5º Culpa dos candidatos da terra que não fazem nada, passam 3 anos sem aparecerem depois aparecem como salvadores da pátria (tem um que pleteia um novo mandato apenas porque conseguiu segundo ele, dinheiro para fazer uma avenida que nunca comecaram ou não tem o dinheiro, se tem nunca veio, é muito pouco para um deputado que passsou 4 anos numa assembléia, voces não acham?)

6º Pelo andar da carruagem , Roseana deve ganhar a eleição, (resta torcer que ela agora olhe para nossa região e faça alguma coisa) tá faltando empenho dos aliados do Jackson e também dinheiro não se faz campanha só com a vontade eu sei. Politicos que devem sua eleição ao sr. Jackson hoje lhe viram as costas (o lado podre da politica) tipo Emiliano da vida e outros que receberam um cala boca do Governo Estadual e não tem mais tanta motivação.

Continuaremos depois.

20 de ago de 2010

ABANDONARAM O RECAPEAMENTO DA DORGIVAL OU SÓ ERA AQUILO?


há vários dias que pararam o restante do recapeamento da Av. Dorgival Pinheiro de Souza, ficaram pela metade alguns trechos e outros nem começaram como da BR 010 à rua Ceará ou será que era só naquele pedaço que recapearam? alguns trechos só tem meia pista (parecendo obra do Ildon, na sua época com tanta pressa de inaugurar que deixaram várias ruas pela metade. Deveriam quando começarem uma rua, que terminasse a que estavam fazendo, e o trecho próxima ao Banco Real vai ficar apenas com bloquete? não venha dizer que é por causa do terreno, façam um drenagem bem feita, com
a palavra a Prefeitura e a Construtora. Só quero entender.

18 de ago de 2010

O lado D do Brasileirão


São 40 clubes de 25 estados brasileiros. que estão se enfrentado durante quatro meses, em um campeonato regionalizado, com 154 jogos que merecerão nada mais que notas de rodapé nos jornais e revistas, alguns parabéns nas rádios e poucos segundos nas grandes redes de televisão. É a Série D.
“D” de desprezada. A CBF, ao divulgar o regulamento da competição, não fala nada de premiação, nem ao menos ajuda para transportes. “Estamos sozinhos, sem ajuda. Pelo menos isso significa que os clubes mais bem organizados terão alguma vantagem. É uma situação muito difícil fazer futebol assim”, diz Raimundo Queiroz, diretor de futebol do Santa Cruz, ex-presidente do Goiás.
A falta de ajuda para transportes é sentida principalmente pelos paraenses. Quando estão na Série A, por exemplo, são obrigados a constantes e cansativos deslocamentos, ao contrário de clubes do Sudeste. “A Série D é regionalizada, mas para nós não muda muito. Temos de usar o avião sempre”, diz Lucival Alencar, vice-presidente do Remo. Ele cita o jogo contra o Cametá como exemplo. “São apenas 150 quilômetros, mas se for de ônibus, temos de passar por três balsas em rios. Então, temos de fretar avião e é um gasto muito grande.”
O médico Ulisses Salgado, presidente do América-RJ, é enfático na crítica à CBF. “Ricardo Teixeira abandonou 40 clubes à própria sorte. E isso em um ano em que a CBF, por causa da Copa, vai faturar muito dinheiro. É um erro muito grande, porque esse campeonato poderia revelar bons jogadores.”
Sem apoio oficial, o convite para disputar a Série D foi gentilmente recusado por vários times. A debandada maior foi em Goiás. Santa Helena e Anapolina, os indicados, disseram muito obrigado e foram imitados por outros clubes. As vagas ficaram então com o Distrito Federal, que indicou Botafogo e Brasília. Roraima também desistiu, o que favoreceu o Cametá, do Pará.
As desistências se seguiram. Em Minas, o Uberaba só foi confirmado após a saída de Democrata e Villa Nova. O Potiguar de Mossoró, no Rio Grande do Norte, entrou após as negativas de Corinthians de Caicó e Santa Cruz-RN. O Santana, do Amapá, deu lugar ao Cristal. O Pelotas substituiu o Veranópolis. E o Murici pediu para sair depois da enchente que destruiu a cidade alagoana.
Entre desconhecidos como Náuas, Vila Aurora e JV Lideral, para três times a Série D tem outro significado.
“D” de desejo. Para Remo, Santa Cruz e América-RJ é o primeiro passo para uma caminhada de ao menos três anos. A possibilidade de subir do fundo do poço à saída. O início do sonho de voltar à Série A.
Em 2009, tudo isso se transformou em um enorme pesadelo para o Santa Cruz. Mesmo com sua fanática torcida comparecendo em grande número nos três jogos (média de 38.246 torcedores), o time não passou da primeira fase.
“Jogamos o Campeonato Pernambucano com um orçamento de R$ 800 mil e diminuímos para R$ 450 mil na Série D. Jogadores saíram, precisamos montar outro time e tudo deu errado. Agora, o planejamento foi muito bem feito”, lembra e lamenta Fernando Bezerro Coelho, presidente do Santa.
O orçamento atual é de R$ 550 mil e foi mantido. O time tem a mesma base do Pernambucano. Os destaques são o atacante Brasão, que ajudou a eliminar o Botafogo na Copa do Brasil, e o veterano Jackson, ex-Palmeiras, Cruzeiro e até Seleção.
Se a situação é ruim, o torcedor e a diretoria do Santa Cruz podem ter algum consolo ao olhar para o Remo. Para o time de Belém, só o fato de estar na Série D já é um avanço. “Na última temporada, nem isso conseguimos”, lembra Lucival Alencar.
Nos últimos anos, o Remo tem perdido protagonismo mesmo no Pará, onde São Raimundo e Águia despontam para ser o grande rival do Paysandu.
O São Raimundo é de Santarém, próximo ao Amazonas e com muita identidade com o Estado vizinho. Há um grande intercâmbio de jogadores. E o Águia é de Marabá, vizinha à sede da empresa Vale do Rio Doce. Em caso de divisão territorial do Pará (há propostas avançadas), Santarém ficaria no Estado de Tapajós e Marabá, no de Carajás. “Esses times já se aproveitam disso e buscam patrocínios regionais, o que o Remo não consegue”, explica o jornalista Tylon Maves, do Diário da Amazônia.
Mas é a força da torcida que faz o Remo ter um bom patrocínio. Empresas fortes da capital investem nos dois times de Belém, mesmo que o Paysandu, da Série C, esteja em posição melhor que o Remo. E como a folha de pagamento é menor, o clube está se recuperando financeiramente. Em campo, a aposta é o armador Gian, ex-Vasco, de 37 anos. “Ele é nosso diferencial”, diz Lucival Alencar.
Se simpatizantes fossem o mesmo que torcedores, o América, citado como segundo clube no coração dos cariocas, sempre teria o seu Giulite Coutinho, com capacidade para 18 mil pessoas, lotado.
Não é assim, mas a construção do estádio é uma das apostas do presidente Ulisses Salgado para sonhar com o acesso. “No Rio, apenas América e Vasco têm estádio próprio. Isso mostra que somos organizados. E que estamos em rota ascendente. Vamos subir na bola, sem tapetão, como em 2009”, diz, em referência ao título da Segunda Divisão carioca. “Quase disputamos um dos quadrangulares finais. Agora, mantivemos o patrocínio da Unimed, que garante o pagamento da folha salarial até o final do ano. Só vamos gastar com deslocamentos”, diz.
O que o presidente, que contratou Alex Dias, tem certeza é de que não lançará mão de uma arma que seriviria pelo menos para levar gente ao campo. “O Romário é diretor de futebol, encerrou a carreira e não joga mais. Vamos subir sem ele”.
Pena, peixe. Seria uma grande atração para a Série D.

16 de ago de 2010

Roseana só regularizou acordo pouco antes da intervenção no Banco Santos



Documentos do Banco Santos indicam que Roseana simulou empréstimo para lavar dinheiro Documentos obtidos pelo Estado mostram que o empréstimo de R$ 4,5 milhões concedido pelo Banco Santos a Roseana Sarney e seu marido, Jorge Murad, foi regularizado no Brasil poucos dias antes da intervenção judicial na instituição bancária, em 12 de novembro de 2004.

O dinheiro foi liberado no dia 29 de julho daquele ano, mas só em 5 de novembro - uma semana antes da quebra do banco e da decretação da intervenção da Justiça - as garantias foram registradas, conforme certidões reprográficas obtidas pela reportagem no livro 2.820 do 16 Cartório de Notas de São Paulo. Ou seja, quando o Banco Santos liberou o empréstimo em julho não havia formalização de fiança bancária.

O Estado revelou ontem que esse empréstimo teria sido simulado para ser uma ponte para a governadora do Maranhão e seu marido movimentarem dólares que tinham no exterior. Documentos que estão nos arquivos do Banco Santos indicam que, no dia 3 de agosto de 2004, cinco dias após a liberação dos recursos no Brasil, eles transferiram US$ 1,5 milhão para Edemar Cid Ferreira, então dono do banco, por meio de um banco suíço. Esse "pré-pagamento" - expressão usada nos próprios papéis - justificaria então a ausência de garantias de pagamento no Brasil.

Só que, três meses depois, o banco passou a viver o risco de intervenção e abertura de sua caixa-preta. O registro das garantias do empréstimo, às vésperas da tomada judicial do banco, evitou qualquer questionamento por parte das autoridades brasileiras quanto à transação.

Naquele período, o senador José Sarney (PMDB) envolveu-se em outra polêmica ao sacar R$ 2,2 milhões do Banco Santos um dia antes da intervenção. Sarney negou, na época, ter recebido informação privilegiada. Sua família e Edemar cultivam uma amizade de mais de 30 anos.

Esquema. Para regularizar o empréstimo, Roseana e Murad registraram e assinaram, de próprio punho, hipotecas de imóveis pessoais e salas dos shoppings que teriam comprado com o dinheiro do Banco Santos em nome da Bel-Sul Participações, uma das empresas da família. De acordo com o contrato, eles deveriam adquirir, com os R$ 4,5 milhões, ações em dois shoppings, um em São Luís e outro no Rio. As ações pertenciam à empresa Participa Empreendimentos, que tem como sócio Miguel Ethel Sobrinho, amigo da família Sarney. Ele foi presidente da Caixa no governo de José Sarney e conselheiro da fundação que leva o nome do senador.

E-mails obtidos pelo Estado, e que também estão nos arquivos do Banco Santos, revelam uma tentativa de inflar os valores dos imóveis contidos na hipoteca dada como garantia do empréstimo. "O ponto mais relevante alterado foi o valor dos imóveis oferecidos em hipoteca", diz mensagem eletrônica enviada por um diretor jurídico a outros funcionários do banco às 10h02 do dia 22 de setembro de 2004. "Indicamos que a garantia hipotecária oferecida era de mais de 130% do valor do crédito, ou seja, em torno de R$ 6 milhões, de maneira que indiquei que cada imóvel era avaliado em R$ 3 milhões", informa o funcionário na conversa.

Arquivo. Um memorando interno "confidencial", elaborado um dia depois pelo departamento jurídico, dá detalhes do acerto entre Edemar, Roseana e Murad. Procurado pela reportagem em São Paulo, o administrador judicial do Banco Santos, Vânio Aguiar, confirmou que esses papéis estão nos arquivos oficiais da instituição bancária.

Segundo o relatório, "em contrapartida à concessão do crédito no Brasil, a Bel-Sul (empresa administrada por Jorge Murad) efetuou o pré-pagamento ao grupo, no exterior, do montante equivalente ao crédito recebido". "No dia 3 de agosto foi confirmado o recebimento do montante equivalente no exterior", relata o documento. O mesmo relatório cita as parcelas que deveriam ser pagas no Brasil, com uma ressalva: "O cronograma acima deverá ser observado pelo grupo na devolução à Bel-Sul, no Brasil, dos montantes lá indicados", o que indica que havia um acordo para Roseana e Murad quitarem o empréstimo, mas receberem de volta os recursos de Edemar.

Ontem, o Estado publicou troca de e-mails entre Edemar e sua ex-secretária, Vera Lucia Rodrigues da Silva, em que ela comunica o pagamento efetuado no exterior logo após a liberação dos recursos à família Sarney no Brasil. Ela cita uma mulher de nome Esther, do banco suíço UBS. Trata-se de Esther Kanzig, diretora do banco suíço UBS em Zurique.

O Banco Santos não tinha aval legal para atuar no exterior e, segundo as investigações sobre sua falência, Edemar usava offshores laranjas para receber recursos fora do Brasil.


Dilma afirma que só se manifesta após ver documentos

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse ontem que só depois de conhecer os documentos do Banco Santos sobre a operação que permitiram à sua aliada política, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e seu marido Jorge Murad, resgatar US$ 1,5 milhão depositados na Suíça, é que se manifestará sobre o fato.

Dilma alegou que não pode se basear em "acusações de jornais". "Eu tenho de ver as provas e aí, sim, eu me manifesto", alegou, ao falar na Feira do Produtor, na localidade de Vicente Pires, a cerca de 20 quilômetros do centro de Brasília.

Rodeada por candidatos e simpatizantes, a candidata citou o combate à lavagem de dinheiro entre as políticas do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que serão mantidas, no caso de ela ser eleita.
Dilma sugeriu que, ao publicarem reportagens sobre lavagem de dinheiro, os órgãos de imprensa informem também que, ao contrário do que acontecia antes, o combate tem sido intenso no País.
Fonte : Estadão

Porque José Serra adia nova visita ao Maranhão?

A coluna Estado Maior do jornal O Estado do Maranhão revela que definitivamente a candidatura do tucano José Serra a presidente da República não tem futuro no Maranhão.

Não bastasse a atabalhoada visita que ele fez a São Luís, o adiamento da visita a Imperatriz , as pesquisas dão recado mais duro e decisivo: o candidato do PSDB caminha para levar uma surra de votos da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, em todas as regiões do estado, a começar por São Luís.

De acordo com a pesquisa Escutec/O Estado, publicada ontem, não deixa nenhuma margem de dúvida quanto à precária situação eleitoral do candidato do PSDB no eleitorado maranhense.

A candidata do PT desponta com 58% das intenções de voto, enquanto o tucano amarga magros 26%, o que na linguagem popular poderá significar um vistoso “capote. É situação para ser definida já no primeiro turno, como prevêem os levantamentos feitos em âmbito nacional.

A coluna Estado Maior vem mostrando, com números e fatos políticos, que a candidatura José Serra não tem futuro no Maranhão. E essa situação abala não somente o projeto nacional do PSDB, mas também o plano traçado pelos tucanos no estado.

Os dois candidatos do PSDB a senador-Roberto Rocha e Edson Vidigal- patinam na quarta e na quinta colocação entre os aspirantes a cadeiras na Câmara Alta. E o candidato a governador Jackson Lago (PDT), que tem vice tucano, também vê a anemia invadir sua campanha.

As fileiras da coligação PDT/PSDB começaram a mostrar desânimo, com os candidatos a deputados estadual e federal se afastando dos candidatos majoritários e procurando seu próprio caminho.

Fonte : Blog do Mário Carvalho

15 de ago de 2010

A ESCOLHA É SUA...Alguns mimosos candidatos à Eleição 2010:

No Esporte:
Acelino Popó Freitas (PRB-BA)- Boxeador, concorre a deputado estadual
Maguila (PTN-SP)- Ex-boxeador,quer ser deputado federal
Marcelinho Carioca (PSB-SP)- Ex-jogador, concorre a deputado federal
Romário (PSB-RJ)- Ex-jogador, busca uma vaga na Câmara Federal
Vampeta (PTB-SP) - Ex-jogador, concorre a deputado federal
Fabiano (PMDB-RS) - Ex-atacante do Inter, é candidato a deputado estadual
Danrlei (PTB-RS) - Ex-goleiro do Grêmio, concorre a deputado federal
Na “Música”:
Gaúcho da Fronteira (PTB-RS) - Músico concorre a deputado estadual
Kiko (DEM-SP) - Do grupo KLB, concorre a deputado federal
Leandro (DEM-SP) - Do KLB, concorre a deputado estadual
Netinho (PCdoB-SP) - Do grupo Negritude, concorre a senador
Reginaldo Rossi (PDT-PE) - Cantor, concorre a deputado estadual
Renner (PP-GO) - Da dupla sertaneja Rick&Renner, concorre ao Senado
Sérgio Reis (PR-MG) - Cantor e ator, concorre a deputado federal
Tati Quebra-Barraco (PTC-RJ) - Funkeira, concorre a deputada federal
Na Televisão:
Ronaldo Esper (PTC-SP) - O estilista quer ser deputado federal
Pedro Manso (PRB-RJ) - Humorista, quer vaga na Assembleia Legislativa
Dedé Santana (PSC-PR) - Humorista, quer ser deputado estadual
Tiririca (PR-SP) - Humorista, disputa uma vaga na Câmara Federal
Batoré (PP-SP) - Humorista, quer lugar na Câmara Federal
No Pomar:
Mulher Melão (PHS-RJ) - Concorre a deputada federal
Mulher Pera (PTN-SP) - Quer ser deputada federal
------
Bom apetite...

CASO ROSEANA: Depois da repercussão nacional, Dilma Rousseff quer conhecer os documentos para se manifestar sobre o caso


A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse hoje que só depois de conhecer os documentos do Banco Santos sobre a operação que permitiram à sua aliada política, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e seu marido Jorge Murad, resgatar US$ 1,5 milhão depositados na Suíça, é que se manifestará sobre o fato.

Dilma alegou que não pode se basear em “acusações de jornais”. “Eu tenho de ver as provas e aí, sim, eu me manifesto”, alegou, ao falar na Feira do Produtor, na localidade de Vicente Pires, a cerca de 20 quilômetros do centro de Brasília. Dilma fez campanha e pediu votos para eleger os candidatos da coligação que a apoia, formada pelo PMDB, PT e PSB, entre outros partidos.

Matéria publicada hoje no jornal O Estado de S. Paulo, exibe documentos dos arquivos do Banco Santos, mostrando que Roseana e Murad simularam um empréstimo de R$ 4,5 milhões para lavar o dinheiro que estava fora do País. Rodeada pelos candidatos e por simpatizantes, a candidata citou o combate à lavagem de dinheiro entre as políticas do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que serão mantidas, no caso dela ser eleita. “o Brasil passou a ser uma das lideranças na questão da lavagem de dinheiro”, justificou. Ela destacou que manterá as medidas adotadas por Lula “não apenas baseada só em escândalos”, mas por acreditar que o desempenho do Brasil nessa área, eliminou “rotas” do tráfico de dinheiro de origem desconhecida.

“Então, eu vou dar continuidade a essa política, não baseada só em escândalo, mas como uma política institucional, que vem para ficar de forma sistemática”, destacou. Dilma Rousseff lembrou que o desempenho do Brasil contra a lavagem de dinheiro foi reconhecido pelo Departamento de Estado do governo dos Estados Unidos, sobretudo quanto a seus efeitos em relação ao terrorismo internacional.

“O relatório do Departamento de Estado reconhece que o Brasil foi o País que deu um combate sem trégua à questão da lavagem de dinheiro, com relação ao problema do terrorismo internacional, eliminando as rotas de tráfico de dinheiro pelo mundo afora”, afirmou. A candidata sugeriu que quando da publicação de matérias sobre lavagem de dinheiro, os órgãos de imprensa informem também que, ao contrário do que acontecia antes, o combate tem sido intenso no País.

“É importante, quando vocês noticiarem, noticiar também que nunca no Brasil se combateu tanto a lavagem de dinheiro, através da Polícia Federal, do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras), e junto com toda a articulação internacional”. “Porque antes no Brasil, nós não tínhamos uma política sistemática de combate à lavagem de dinheiro”, disse Dilma.

14 de ago de 2010

Sarney e a história sem graça do ceguinho de Imperatriz


O ministro da Articulação Política, Alexandre Padilha, o presidente da Câmara e candidato a vice-presidente, Michel Temer (PMDB), o ex-governador Moreira Franco (Rio de Janeiro) participaram neste sábado pela manhã de uma reunião com as principais lideranças da coligação “O Maranhão Não Pode Parar”, que tem a governadora Roseana Sarney, Lobão e João Alberto como candidatos.

O presidente do Senado, José Sarney, fez um discurso longo sendo repreendido por Roseana sobre o tempo. “Ao contrário dos outros pais quem manda em mim é minha filha”, reconheceu o senador. Pelo menos cem prefeitos participaram do evento.


Ninguém conseguiu resistir a história do ceguinho contada por Sarney. Foto: Baiman Prado
Sarney e todos os que discursaram alertaram para o clima do “já ganhou” e “oba-oba” que é comum em campanhas como da governadora e da petista Dilma Roussef, líderes nas intenções de voto. “Não vamos deitar sobre os resultados das nossas pesquisas. Eleição só se ganha após a apuração. Vamos esquecer querelas municipais”, assinalou ele.

Para distrair o público, Sarney resolveu contar histórias. Disse ter ouvido de Dilma que uma garota insistiu em falar com ela durante passagem por Minas Gerais. Depois de muita luta, a garota finalmente conseguiu se aproximar da ex-ministra. A surpresa da candidata foi quando a fã revelou seu nome: Vitória.

“Quando a Roseana foi a Imperatriz, antes tinha passado por lá um de seus adversários. Ao encontrar um cego pedindo esmola na rua o candidato – não se sabe se Flávio Dino (PCdoB) ou Jackson Lago (PDT) – resolveu doar alguns trocados ao pedinte:

- Tu sabes quem está lhe dando esses trocados – disse o candidato ao cego;
- Não – respondeu ele;
- Quem está lhe fazendo essa doação é o futuro governador do Maranhão – disse o político;
- Roseana, tu estás com a voz muito grossa – admirou-se o homem”, contou o presidente do Senado para gargalhada geral da plateia

Fonte: blo do decio

VEM AÍ: Pesquisa Escutec gera desconfiança mesmo antes de sua divulgação


Registro de uma nova pesquisa para ser divulgada nos próximos dias foi solicitado junto ao TRE, pelo Instituto Escutec, de propreidade do radialista Fernando Júnior, muito ligado ao vice-governador João Alberto. Embora haja quem afirme no meio político, que o verdadeiro dono do instituto seja o secretário licenciado de coordenação política do atual governo, Hildo Rocha.

Comentam dentro do próprio executivo estadual, que nessa nova pesquisa escutec, encomendada pela gráfica escolar, editora do jornal “O estado do Maranhão” de propriedade da governadora Roseana Sarney, ela já apareceria com percentuais que beiram os 60% das intenções de votos, e que com esses números pretende encorajar a candidata petista á presidência da república Dilma Roussef, a vir ao estado para subir apenas em seu palanque numa tentativa de enfraquecer a candidatura do deputado Flávio Dino, postulante ao governo estadual sob a legenda do PC do B, que também é aliado de Dilma, no plano nacional.

A pesquisa escutec, como sempre, já está sendo bastante contestada por analistas polítcos, mesmo antes de sua publicação. Para muitos, a pesquisa é vaga e duvidosa quanto aos dados, que mais uma vez omitem municípios e bairros abrangidos pela sondagem.

O que mais chama a atenção quanto à credibilidade da pesquisa é o fato do nome de Roseana Sarney, ser citado em cinco questionamentos, e muitas das perguntas formuladas induzem o eleitor a associar o nome de Roseana ao do presidente, que ela usa sistematicamente como seu principal cabo eleitoral.

Esse filme é a repetição do que vimos nas eleições de 2006, pior será para Roseana, se o resultado final também se repetir agora em 2010.

Fonte : Blog do Ricardo Santos

12 de ago de 2010

SE A MODA PEGA...


Foram vistos por um Imperatrizense ontem em Brasília em um shopping da cidade o jurisconsulto Roberto Wagner, coordenador da campanha do candidato à Deputado Federal Lindemberg Davi. Estava com ele, seus assessores Antonio Garcia e Fibinha, essa mesma fonte, informa que conversando com os mesmos disseram que certos dá vitória de seu candidato já estavam em Brasilia procurando apartamentos e gabinetes bem localizados para eles e seu candidato, isso que é confiar nas urnas.

E não é que Vanusa esqueceu a musica novamente?


A cantora Vanusa, que no ano passado produziu um dos vídeos mais engraçados da internet ao cantar (ou tentar cantar) o Hino Nacional durante uma solenidade na Assembleia Legislativa de São Paulo, repetiu a gafe.

(Com a repercussão do episódio do Hino, Vanusa foi a público e afirmou que estava tomando remédio para labirintite, o que teria sido a causa do esquecimento da letra.)

Desta vez, Vanusa se apresentava em uma comemoração do Dia dos Pais no Parque do Idoso, em Manaus, no último dia 6 de agosto. Ao cantar a música Sonhos de um palhaço, composta por Antônio Marcos, um clássico de seu repertório, Vanusa teve um “pequeno” lapso e esqueceu a letra.

Ao tentar consertar, a emenda saiu pior que o soneto. A cantora, após conferir a letra em uma pasta que se encontrava do lado do palco, acabou, inexplicavelmente, emendando na canção Como vai você, também de Antônio Marcos.

Segundo nota publicada no blog do jornalista Ronaldo Tiradentes, da rádio CBN de Manaus, além de errar as letras, a cantora “atravessou os tons, tirou os sapatos e enrolou a língua durante a apresentação”.

11 de ago de 2010

Adilson Maguila tem candidatura vetada


Maguila não declarou bens à Justiça Eleitoral, mas colocou a previsão de gastos de campanha no limite de R$ 3 milhões.

O ex-boxeador Adilson Maguila terá de aposentar, ao menos temporariamente, o sonho de ter uma vaga no Congresso Nacional. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo vetou sua candidatura a deputado federal pelo PTN. A Procuradoria Regional Eleitoral nem tinha pedido a impugnação do candidato, apenas havia feito um pedido de diligências sobre documentos da candidatura, uma delas a certidão de "nada consta" no Tribunal de Justiça de segunda instância de São Paulo. Ainda cabe recurso e, segundo o coordenador regional de campanhas do PTN, Kennedy Rene Rodrigues, o partido já está recorrendo da decisão.

Maguila não declarou bens à Justiça Eleitoral, mas colocou a previsão de gastos de campanha no limite de R$ 3 milhões. Segundo a primeira prestação de contas do candidato, nenhum centavo havia sido arrecadado ou gasto até o início de agosto. Rene Rodrigues disse que, até agora, Maguila não arrecadou nenhuma doação.

Outra ex-celebridade que busca sair das sombras é o estilista e apresentador de TV Ronaldo Esper. Acusado de furtar vasos de bronze em um cemitério paulistano em 2007, Ronaldo Esper garantiu sua candidatura para concorrer a deputado federal pelo PTC. O partido é o mesmo de seu antigo rival das agulhas e alfinetadas, o estilista Clodovil Hernandes, terceiro deputado mais bem votado no estado em 2006, morto por câncer no ano passado.

Em sua primeira declaração de donativos, Ronaldo Esper afirmou não ter recebido nem gasto nenhum centavo. Sua declaração de bens é de R$ 347,5 mil.

A julgar pelas declarações parciais de arrecadação de campanha dos meninos do grupo juvenil KLB, a fama não garante as doações. Até agora, nem Leandro (candidato a estadual) nem Kiko (federal), ambos do DEM, registraram ter gastado ou arrecadado nada. Cada um declarou um patrimônio de R$ 740 mil. Segundo o site do TSE, as duas candidaturas aguardam julgamento do TRE paulista.

O candidato a deputado federal pelo DEM Selmo dos Santos, que registrou sua candidatura no partido e no TRE quando estava preso por suposto crime de estelionato, teve sua candidatura indeferida pelo tribunal. Além de não apresentar as certidões necessárias, que mostrariam condenações e processos criminais, ele registrou um patrimônio de nada menos que R$ 91,6 milhões. Entre os "bens", estaria uma universidade, que não tem registro no MEC e que, segundo seu advogado, nunca saiu do papel. Suas cotas na tal Unilma (Universidade Livre do Meio Ambiente), da qual Selmo dos Santos se dizia reitor, valeriam, segundo ele, R$ 80 milhões.

BAIXARIA: Jornalista e candidato ao Senado brigam em entrevista na TV


Terminou em pancadaria, em Rio Branco (AC), a gravação de uma entrevista entre o candidato ao Senado João Correia (PMDB) e o jornalista Demóstenes Nascimento, apresentador da TV 5, afiliada à Rede Bandeirantes.

A entrevista, que seria exibida na noite de terça-feira (10), foi interrompida quando o candidato e o jornalista passaram a trocar insultos, palavrões, socos e pontapés no estúdio da emissora.

Ambos registraram queixa na polícia, compareceram ao Instituto Médico Legal para exames de corpo de delito e ameaçaram represálias jurídicas.

Correia e um grupo de aliados políticos, após as agressões, foram recebidos pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), desembargador Arquilau Melo.

Ex-deputado federal e professor de economia da Universidade Federal do Acre, Correia levou a pior no embate. Sofreu escoriações (face, queixo e joelho direito) e lesão de tendão com desalinhamento de falange distal (dedo anular).

“Terei que ser submetido a tratamento conservador do dedo, mas o ortopedista não descarta a necessidade de tratamento cirúrgico”, relatou o candidato pela coligação “Liberdade e Produzir para Empregar” (PSDB, PMDB, PPS, DEM, PMN, PSC, PT do B e PSL).

O jornalista Demóstenes Nascimento disse que ameaçou interromper a entrevista quando o candidato começou a gritar após ser questionado sobre a área de segurança pública. A partir disso, teria começado a troca de insultos, palavrões, socos e pontapés. O candidato contesta a versão do jornalista.

“Falei que o governo da Frente Popular do Acre fracassou e que as obras da BR-364, de Sena Madureira a Cruzeiro do Sul, eram usadas para a lavagem de dinheiro. O apresentador disse que sou envolvido no escândalo das Sanguessugas e que não tenho moral para falar contra o governo. Falei que ele é um lacaio, vendido. Ele pediu que a gravação fosse encerrada, tirou o paletó e o microfone e partiu para me agredir com murros e pontapés”, relatou Correia.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) distribuíram uma nota em que repudiam a “atitude covarde e agressiva” do candidato contra o jornalista.

“O jornalista foi agredido quando exercia seu trabalho de maneira isenta e honesta. É lamentável que profissionais de comunicação ainda sejam submetidos a episódios truculentos como esses no livre exercício da profissão”, afirma a nota do Sinjac e Fenaj.

O diretório regional do PSDB também distribuiu uma nota de repúdio contra o jornalista que “agrediu verbal e fisicamente o candidato ao Senado da República” João Correia, durante a entrevista marcada com a autorização do TRE-AC.

“Esperamos que a gravação, na íntegra, seja entregue à Justiça para que possa ser apurada a verdade dos fatos e tomadas todas as providência cabíveis nesse caso, para que, realmente, a liberdade de expressão possa acontecer nessas eleições”, assinala a nota do PSDB.

10 de ago de 2010

É... alguém mudou! Dilma defende apoios de Sarney e Collor



A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, abriu ontem o ciclo de entrevistas ao vivo no "Jornal Nacional", da Rede Globo, defendendo o arco de alianças que a apoia. Ela disse que governar o país pressupõe a necessidade de se fazer uma "aliança ampla".

William Bonner listou aliados que, no passado, eram criticados pelo PT: Renan Calheiros (PMDB-AL), Jader Barbalho (PMDB-PA), José Sarney (PMDB-AP) e Fernando Collor (PTB-AL). "Quando foi que o PT errou? Antes ou agora?", questionou.

Dilma não respondeu diretamente, mas disse que o PT não tinha "tanta experiência" de governo. "O PT acertou quando percebeu a sua capacidade de construir uma aliança ampla", afirmou.

Novo programa de Dilma retira teses polêmicas

9 de ago de 2010

JUSTA HOMENAGEM: Av. Jacob para Av. Sebastião Régis


Desencarnou sexta feira, Sebastião Régis, um dos pioneiros na década de sessenta em nossa cidade. Participou ativamente do crescimento ecônomico (gerando milhares de emprego com suas empresas) da cidade de Imperatriz, social (participou ativamente na cidade como presidente do Cavalo de Aço, clubes sociais e etc.), na politica (foi candidato a vice de Sebastião Madeira e apoiou muita gente) filantropía ( sempre ajudava com tijolos, telhas e dinheiro as entidades filantrópicas). Estava na hora de um dos nossos vereadores ou o Prefeito entrarem com um projeto de Lei para homenagear esse homem de deixou um grande trabalho e dedicação para a Cidade. Não só ele, mais outros pioneiros anonimos de nossa cidade. as ruas com nome de estados e santos eram quando não tinhamos referencial nenhum.

PT segue rachado no Maranhão após intervenção


A intervenção do diretório nacional do PT no Maranhão ainda é uma ferida aberta na disputa eleitoral pelo governo do estado. O partido está dividido entre o apoio oficial à reeleição da governadora Roseana Sarney (PMDB), decidido pelo diretório nacional e pelo presidente Lula, e a campanha do deputado Flávio Dino (PCdoB), que tenta se eleger governador com a ajuda de petistas anti-Sarney.

O racha do PT no estado levou a uma briga na Justiça Eleitoral: há poucos dias, a legenda propôs uma ação judicial para retirar o comitê de Flávio Dino instalado na sede do partido estadual, na capital São Luís. Combalido pela cassação no ano passado e salvo da Lei da Ficha Limpa pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na última quarta-feira, o candidato do PDT, o ex-governador Jackson Lago, tenta se beneficiar desse cenário eleitoral.

A peculiar disputa pelo Palácio dos Leões já mobiliza alguns dos principais caciques políticos do país. Pai de Roseana, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), reuniu-se com o presidente Lula um dia depois de o TRE do Maranhão validar, por unanimidade, a candidatura do ex-governador Jackson Lago, cassado em 2009 por abuso de poder econômico durante a campanha de 2006. Sarney e Lula se encontraram no início da noite no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde Lula tem despachado enquanto a reforma do Palácio do Planalto não é concluída. Os dois trataram da eleição de Roseana e de uma possível visita de Lula e da candidata petista Dilma Rousseff ao Maranhão.

No próximo dia 14, está prevista em São Luís uma reunião entre o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), vice de Dilma, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, prefeitos, deputados e candidatos maranhenses do PT e do PMDB. O objetivo dessa reunião é mobilizar os dois partidos em torno da candidatura de Roseana Sarney.

Um dia antes, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, visitará Imperatriz, o segundo maior colégio eleitoral do Maranhão, e deve estender a viagem até Açailândia. Será ciceroneado por Jackson Lago, que tem a difícil missão de garantir mais um palanque nordestino a José Serra.

Divisão

O presidente do PT no Maranhão, Raimundo Monteiro, dá a seguinte definição para os apoios aos presidenciáveis no estado: “Roseana é 100% Dilma; Flávio Dino é 50% Dilma e 50% Serra; e Jackson Lago é 100% Serra”.

Essa divisão do PT entre dois candidatos pode beneficiar a candidatura de Jackson Lago, segundo o coordenador da campanha do pedetista, Clodomir Paz. “O partido não desejava esse caminho (de apoiar Roseana). Esse é um desejo ardente de (José) Sarney.”

Além da candidatura de Flávio Dino, as eleições para governador no Maranhão contam com três candidatos de esquerda: do PSTU, do PSol e do PCB. Os quatro esquerdistas e os petistas alinhados com Flávio Dino estão de olho nos votos dos maranhenses que não são eleitores da família Sarney.

Fonte : Correio Brasiliense

Iraniano acusado de ser homossexual será executado


Um jovem iraniano de 18 está prestes a ser executado pela acusação de homossexualismo, informa neste domingo o jornal britânico The Guardian. Ebrahim Hamidi, que afirma não ser gay, foi condenado à morte por lavat (sodomia) baseado em "conhecimentos do juiz", um mecanismo legal que permite que autoridades judiciárias emitam sentenças em casos em que não há evidências conclusivas.

Hamidi, que não possui representação legal própria, tem sido defendido pelo advogado de direitos humanos Mohammad Mostafaei, o mesmo que defende a iraniana condenada à morte por apedrejamento Sakineh Mohammadi Ashtiani. Contudo, Mostafaei foi obrigado a deixar o país por perseguições políticas após o caso Sakineh ganhar repercussão internacional.

Hamidi foi preso há dois anos na cidade de Tabriz após brigar com membros de outra família. Três de seus amigos envolvidos no incidente também foram presos mais tarde. Os quatro foram acusados de ataque homossexual e de tentar abusar sexualmente de um homem.

Após três dias preso, Hamidi teria confessado o crime sob tortura. Os outros três detidos foram liberados após testemunharem contra Hamidi. Contudo, no mês passado, a vítima do caso admitiu que fez falsas acusações sob pressão dos pais. Apesar disso, o judiciário local insistiu que Hamidi deve ser executado.

7 de ago de 2010

SE NICE LOBÃO NÃO TEM TEMPO PARA A CÂMARA, PORQUE SE REELEGER ENTÃO? RESPONDAM.


Há um grupo de cinco deputados que tem tido cadeira cativa na lista dos dez deputados mais faltosos nos levantamentos feitos pelo site Congresso em Foco. Em três anos de mandato, dos quatro de legislatura, os deputados Jader Barbalho (PMDB-PA), Marcos Antônio (PRB-PE), Nice Lobão (DEM-MA), Ciro Gomes (PSB-CE) e Vadão Gomes (PP-SP) sempre estiveram na lista dos dez com maior número de ausência.

As justificativas são as mais diversas. Vão desde questões mais justificáveis, como problemas de saúde, até a confissão mesmo da falta de interesse pelas votações em plenário.
O curioso é que, mesmo faltando mais do que comparecendo, muitos deles buscam se reeleger. Dos 20 deputados mais faltosos nas votações plenárias, no primeiro semestre deste ano, sete vão tentar novo mandato ou conquistar uma vaga no Senado.

Dos 20 mais faltosos do semestre, metade esteve por pelo menos dois anos entre os mais faltosos. São eles, em ordem alfabética: Affonso Camargo (PSDB-PR), Alexandre Silveira (PPS-MG), Ciro Gomes (PSB-CE), Fernando de Fabinho (DEM-BA), Jader Barbalho (PMDB-PA), Marcos Antonio (PRB-PE), Marina Maggessi (PPS-RJ), Nice Lobão, Vadão Gomes (PP-SP) e Zé Vieira (PR-MA).
A deputada Nice Lobão (DEM-MA) informou que suas faltas se devem a graves problemas de coluna.

Mesmo assim, porém, ela disputará a reeleição. “O povo não me deixa desistir. Eu tenho um eleitorado muito cativo no Maranhão. O trabalho que fiz lá foi muito bem feito, é muito reconhecido”, disse a mulher do ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão, senador do PMDB licenciado (ele concorre à reeleição ao Senado pelo Maranhão).

Uma das cirurgias de coluna a que Nice se submeteu durou 17 horas – daí a justificativa para os seguidos pedidos de licença de saúde. Sentada nas primeiras fileiras do plenário, a deputada participou na terça-feira (3) do primeiro dia de esforço concentrado de votações, que, porém, não resultou em muitos avanços na produção legislativa.

Com 74 anos a serem completados em outubro, a deputada maranhense disse que, se dependesse apenas dela, os problemas também no joelho já a teriam feito desistir da vida parlamentar. Ela disse ter inclusive sugerido que seu filho e suplente do marido – o empresário Edison Lobão Filho, que chegou ocupar a vaga no Senado durante a gestão do pai à frente do Ministério de Minas e Energia – levasse seu mandato adiante, mas foi demovida da ideia pelo próprio.

No quarto mandato consecutivo, a deputada diz que é “candidatíssima” à reeleição para a Câmara, mas só mais essa vez. “Na próxima [eleição, em 2014], não quero mais não”.
Em campanha – Já no primeiro ano de mandato, em 2007, Jader Barbalho figurava entre os cinco mais faltosos daquele ano. O parlamentar, no entanto, subiu no ranking nos últimos dois anos, se colocando em terceiro lugar em faltas. No ano passado, Jader teve presença discreta pelos corredores do Congresso. Neste primeiro semestre, a presença do parlamentar paraense foi ainda mais rara. Jader faltou a 79% das sessões deliberativas.

Mesmo sem dar prioridade às votações plenárias em três anos de mandato, no entanto, Jader tenta um quinto mandato parlamentar, agora na vaga de senador. O peemedebista, no entanto, teve sua candidatura impugnada pelo Ministério Público, por conta da Lei da Ficha Limpa, e corre o risco de ter indeferido o registro de sua candidatura.

A assessoria de Jader Barbalho no Pará disse que o deputado estava na terça, 3, em campanha no estado, mesmo em pleno esforço concentrado de votação na Câmara antes do pleito de outubro. Ou seja, nova falta computada para o peemedebista (no caso, que pode vir a ser justificada sob a chancela “atendimento de obrigação político-partidária”). Ele não deu retorno aos contatos feitos pela reportagem. Em seu gabinete em Brasília, disseram que ele não tem assessor de imprensa.

Abençoado – O deputado e cantor gospel Marcos Antonio (PRB), mais conhecido como “Negão Abençoado” (codinome que ele escolheu para aparecer na urna eletrônica), também quer seguir como deputado, mesmo estando fora em 66% das sessões deliberativas do primeiro semestre deste ano. Há três anos, Negão está entre os mais ausentes da Câmara, mas espera o voto dos eleitores para seguir na atividade parlamentar.

A assessoria do deputado disse que, por ser presidente do PRB em Pernambuco, Marcos Antonio tem cumprido muitos compromissos na estruturação dos diretórios regionais.
“As justificativas todas que ele deu para o presidente [da Câmara, Michel Temer, PMDB-SP] foram essas”, disse a assessoria de Marcos Antônio em Brasília, acrescentando que os trabalhos foram “redobrados” por ser esta a primeira eleição da qual a legenda, “um partido pequeno”, participa para deputado federal (Marcos foi filiado ao PSC e ao PAN até 2007).

Varizes no esôfago – Como Nice Lobão, outro deputado que tem nos problemas de saúde a razão das ausências em plenário é Affonso Camargo, o deputado que mais faltou no primeiro semestre deste ano. Suas faltas, disse a assessoria da liderança do PSDB, se devem a um problema de varizes no esôfago, que têm obrigado o deputado a fazer seguidas endoscopias. Essa é a razão apresentada por ele por ter comparecido a somente sete das 59 sessões deliberativas ocorridas antes de terça-feira (3).

Deputado com maior número de faltas não justificadas, Marcelo Almeida (PMDB-PR) também apresentou suas razões. “Neste ano, as ausências sem justificativa foram concentradas nos meses de maio e junho, após a morte de Roberto Beltrão de Almeida, irmão do deputado, ocorrida em 21 de abril. Por várias vezes o deputado precisou permanecer em Curitiba para resolver questões familiares e empresariais decorrentes desse fato. Como as ausências de interesse pessoal não são justificáveis de acordo com o Regimento Interno da Câmara, as mesmas não foram justificadas à Mesa”, disse, em nota, a assessoria de Marcelo Almeida.

6 de ago de 2010

Prefeito de São Mateus-Ma. manda baixar porrada em jornalista


O prefeito de São Mateus, Coronel Rovélio (foto), conhecido no município por ser recordista em cassação, de volta ao cargo- pela terceira vez consecutiva- por decisão liminar da Justiça, aproveitou para se pronunciar em público ao lado do deputado estadual, Tatá Milhomem (DEM), comemorando a reintegração ao cargo, num ato típico de comício eleitoral.

Em determinado momento, ao perceber a presença, no ato político, do jornalista Stuart Junior, que é diretor do Jornal Regional do Maranhão, que cobria o evento, profissionalmente, foi covardemente agredido por “seguranças” do prefeito cassado de São Mateus.

Populares que estavam no local disseram que por muito pouco o jornalista não teve ceifada sua vida, sendo salvo graças à intervenção daqueles que intercederam em seu favor evitando que o pior acontecesse.

Stuart Junior foi espancado gravemente e covardemente através de cacetetes, pontapés, socos por regiões vitais e está muito lesionado. O prefeito sub-júdice Coronel Rovélio, acompanhava e ordenava a execução através do microfone, com a seguinte palavra de ordem: “É PRA BATER, QUEBRAR A CÂMARA DELE”…

Tudo foi registrado e gravado. A população está muito revoltada com mais esta brutal atitude do coronel prefeito. Nestes dias a população por duas vezes interditou a BR-135, que passa pela cidade, em protesto a um eventual retorno do coronel reformado ao cargo, o que acabou acontecendo, sob ordem do juiz federal Magno Linhares, um dos membros do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA).

O jornalista registrou ocorrência na Delegacia de São Mateus e fez exame de corpo de delito.

O prefeito coronel Rovélio foi cassado três vezes pela juíza eleitoral Ana Gabriela Costa Everton (35ª Zona Eleitoral), tendo como base as teses de abuso de poder econômico, pois no entendido da magistrada, o administrador usou indevidamente o cargo ou a função pública, com fim de influenciar o eleitor, desiquilibrando a eleição de 2008, haja vista que o condenado Coronel Rovélio e seu vice José Maria, distribuiram camisas, bonés, combustível entre outras ofertas. O abuso de poder político se deu pela contratação e demissão de servidores no período vedado pela justiça Eleitoral.
Fonte: blog mário carvalho

4 de ago de 2010

DISPUTA POLÍTICA: frango é arrematado por 1 mil reais em leilão no Piaui


Um fato inunsitado ocorreu neste final de semana na cidade de Itaueira Piaui, cidade natal do cantor Frank Aguiar, onde está sendo realizado o festejo em homenagem a Bom Jesus.

Após o final da missa na matriz da cidade, houve o leilão de diversos brindes em prol da Paróquia de Itaueira. Por conta da disputa entre vários políticos presentes à festa, o preço das jóias estava bem superior ao normal.

A última jóia do leilão, um frango assado, foi arrematado por um preço superior a R$ 1.100,00 (mil e cem reais). É que os políticos foram oferecendo lances que correspondiam a números de candidatos às próximas eleições. O que pretendiam era que o leiloeiro gritasse alto seus número, deixando evidente a disputa política em pleno festejo religioso. Esse é o nosso Brasil.

EX-EMPRESÁRIO IMPERATRIZENSE RECEBERÁ INDENIZAÇÃO MILIONÁRIA


A juíza Maria Aldecy de Souza Pissolati, titular da 3ª Vara Cível (Privativa da Fazenda Pública), condenou o Hospital Celina Gonçalves, representado na ação pelo empresário Demétrius Ribeiro, a pagar ao ex-acionista da extinta sociedade, Marlon Lopes Pidde, cerca de R$ 3,5 milhões a título de ressarcimento de valor integralizado pelo autor em 1983, perdas e danos, e dividendos ou lucros adquiridos. A conta ultrapassa a R$ 4 milhões, em razão da fixação dos honorários em 20% mais custas processuais.
Há cinco anos, Marlon Pidde propôs ação ordinária de cobrança cumulada com perdas e danos em desfavor de Hospital Celina Gonçalves S/A e do Estado, em litisconsórcio passivo, ao tomar conhecimento que a referida sociedade estava sendo objeto de desapropriação por utilidade pública. Alegou ser sócio fundador desde 1983, tendo direito a 5,88% dos R$ 13.708.387,54 da desapropriação, e que não lhe foram pagos.
Na análise da documentação da sociedade, perita nomeada pela 3ª Vara Cível observou que em 17.01.2004 a D. N. Participações Ltda., representada por Demétrius Fernandes Ribeiro e sua esposa Naila Uthman Ribeiro, entraram no negócio, o primeiro como presidente, não constando em ata de Assembléia Geral Extraordinária o valor integralizado ou subscrito da referida empresa.
Em 02.04.04, conforme Ata de Assembléia Geral ordinária o capital aumentou através da integralização de 2.200.000 ações ordinárias nominativas pela D. N. Participações Ltda., sendo doadas 60.000 ações para meia dúzia de beneficiários, não constando entre esses o nome de Marlon Pidde.
A perícia verificou que a indenização paga pelo Estado (R$ 13.708.387,54), foi usada “apenas para efetuar pagamentos na sua maioria com a empresa D N participações Ltda., e seus representantes, e aquisição de terrenos no valor de R$ 800 mil do proprietário Osvaldo dos Reis Mutran, entre outros”. Para a juíza Aldecy Pissolatti, a dilapidação do patrimônio da sociedade aconteceu sem a necessária prestação de contas.
“O valor da desapropriação não aproveitou a sociedade, considerando que pela demonstração financeira o patrimônio (...) hoje é quase zero. Nem tampouco apresentou em juízo a demonstração financeira da referida sociedade que diz chamar-se agora Universidade de Marabá S/A, conforme alteração em Assembléia Geral Extraordinária realizada em 20.05.2005”, diz a fundamentação da sentença.
Na avaliação de uma fonte que de longa data acompanha esses negócios, a condenação da sociedade Hospital Celina Gonçalves em R$ 3,5 milhões a título de ressarcimento de perdas e danos ao acionista Marlon Pidde pode desencadear uma torrente de ações assemelhadas a partir de outros supostos sócios supostamente lesados na partilha da desapropriação milionária.
O outro lado
Ouvido quarta-feira por telefone, o empresário Demetrius Ribeiro disse não ter sido ainda notificado e garantiu que vai recorrer da decisão judicial: “Primeiro, não houve dissolução da sociedade anônima Hospital Celina Gonçalves S/A, oportunidade em que os acionistas seriam convocados todos para apuração de perdas e danos e divisão proporcional do remanescente. No caso, a D. N. Participações Ltda. Limitou-se a vender o ativo representado pelo hospital, sem liquidação da empresa”.
Para Demétrius Ribeiro, Marlon Pidde jamais foi integrante da sociedade de capitais. “Supostamente ele participou de uma assembléia na qual manifestou interesse em adquirir ações prometendo dar uma entrada e o restante em notas promissórias, o que foi registrado em ata. Deu-se, então, que foi feito um recibo para ser entregue a ele na secretaria, mediante pagamento das cotas, o que jamais aconteceu. Sem pagamento, não há participação”.
À época, a crise já rondava a sociedade e o interesse de Marlon Pidde gerou a expectativa do ingresso de novos ativos. Como isso não aconteceu, o hospital acabou sofrendo novos prejuízos com o aumento de suas dívidas. “Para se ter uma idéia, o débito do Celina Gonçalves é hoje de R$ 5,7 milhões à Receita Federal”, argumenta.
Segundo Ribeiro, Pidde teve acesso à cópia da ata e tentou registrá-la em cartório para comprovar a emissão das ações em seu nome. Quando, porém, o cartório exigiu-lhe comprovantes do pagamento do acordo, Pidde desistiu por não possuí-los. “Quem juntou o recibo entre os documentos apresentados na defesa judicial fomos nós, não o sr. Pidde, porque esse recibo jamais lhe foi entregue em vista do não pagamento das ações que ele diz ter adquirido”, assegura.
Fonte: blog quaradouro

IRÃ AFIRMA QUE LULA DESCONHECE O CASO DE CONDENADA A APEDREJAMENTO


O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, afirmou nesta terça-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu asilo político a Sakineh Mohammadi, acusada a adultério e condenada ao apedrejamento, pois "desconhece seu caso".

Mehmanparast fez esta declaração durante sua habitual entrevista coletiva semanal realizada na sede ministerial no sul de Teerã.

"Pelo conhecimento que tenho do senhor Lula da Silva, sei que é uma pessoa humana e carinhosa, mas possivelmente não recebeu informações suficientes sobre o caso (de Sakineh Mohammadi)", disse Mehmanparast.

Resposta

O alto funcionário do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã respondeu desta forma a uma pergunta sobre a postura do Irã respeito das recentes declarações de Lula sobre a disposição brasileira de dar asilo político a Sakineh Mohammadi.

"O que podemos fazer é colocar Lula a par do caso", afirmou Mehmanparast ao acrescentar que "o delito de Mohammadi é óbvio, baseado em documentos".

Sakineh Mohammadi Ashtiani, natural do Azerbaijão, de 43 anos e mãe de dois filhos, é acusada de adultério por um tribunal iraniano, acusação rejeitada por ela e por sua família.

Um tribunal iraniano condenou Sakineh em 2007 a ser apedrejada, mas a sentença ainda não foi aplicada devido às pressões internacionais.

As autoridades judiciais do Governo de Teerã, que também acusam Sakaneh pelo assassinato de seu marido, anunciaram em julho que a sentença não será aplicada por enquanto, mas acrescentaram que segue em vigor.

As informações são da agência EFE

3 de ago de 2010

REI MORTO, REI POSTO?


É... essa máxima apesar de tão antiga e surrada continua tão forte nos dias atuais e pelo andar da carruagem continuará por muito tempo. 30 dias após as convenções, até agora os aliados do Ex-Governador não botaram a sua companha nas ruas de Imperatriz , Roseana já a muito tempo com seu batalhão de seguidores (cabos eleitorais, carros de som, cartazes...) estão nas ruas e os aliados de Jackson sumiram todos? assim será muito dificil Jackson ir para o 2º turno, se no seu maior reduto eleitoral está assim.

2 de ago de 2010

POR UM NOVO LOGO PARA A COPA DE 2014


Alexandre Wollner, um dos mais respeitados designers brasileiros, disse em entrevista que a marca da Copa de 2014 é uma porcaria, parece alguém com vergonha, e o processo para sua escolha foi antiético. A ADG, a Associação dos Designers Gráficos, foi consultada pela FIFA, mas foi excluída de conduzir um concurso entre designers, o que gerou protestos.

Em post sobre o assunto no blog do Luis Nassif, uma boa idéia surgiu para materializar os protestos e tentar uma solução honrosa, ética e progressista para salvar algo que começa errado: um concurso entre designers brasileiros para uma marca open source. Um modelo paralelo ao oficial, em protesto ao modelo adotado, que valorize nossas nossas referências e dignifique o design brasileiro.

Estou certo que entidades como a ADG e a parte mais consciente da sociedade brasileira abraçará a idéia. Fora o centralismo venal de Ricardo Teixeira! Viva a arte, o futebol, o design e os valores brasileiros!

Sinceramente, o Brasil atual tem jeito?

Que olha a cena político-social-econômica atual se pergunta sinceramente:o Brasil tem jeito? Um bando de ladrões, travestidos de senadore...