30 de set de 2014

REVOLTA DA BALAIADA: Estudantes da UEMA de Imperatriz, visitam a cidade de Caxias

Estudantes do 5º período matutino de História da UEMA de Imperatriz, visitaram no último final de semana locais históricos de Caxias-Ma. A aula em campo proporcionou aos estudantes uma viagem pela história no memorial da Balaiada  e as ruas históricas de Caxias, despertando a curiosidade e o interesse dos estudantes. Coordenada pelo prof. Luis Maia (Mestre em História do Maranhão), e com o apoio da professora de Hístória da UEMA de Caxias, Jordânia Pessoa.
 
Na década de 1990 um grupo de estudantes universitários e historiadores, liderados por um arqueólogo, resolveu recontar a história da Balaiada. Para isso se instalaram no Morro do Alecrim, palco final da revolta. Eles trabalharam durante meses, atrás dos vestígios do conflito. "Hoje historiadores já escrevem sobre essa nova versão. A versão dos vencidos, dos balaios como verdadeiros heróis na batalha contra os opressores".  O resultado das buscas arqueológicas fez surgir o Memorial da Balaiada. No acervo de 350 peças, restos de armamentos, balas de chumbo, projéteis, botões e fivelas dos militares e dos homens e mulheres que fizeram a revolta. As escavações encontraram até fragmenmtos de ossos humanos. A coleção do museu tem também instrumentos de castigo dos ecravos, como correntes ultilizadas em castigos dos escravos, como correntes e gargalheiras.
 
O memorial é o maior museu de Caxias e recebe, em média, 900 visitantes por mês. 
 
CONFIRA AS FOTOS:






Sinceramente, o Brasil atual tem jeito?

Que olha a cena político-social-econômica atual se pergunta sinceramente:o Brasil tem jeito? Um bando de ladrões, travestidos de senadore...