30 de mai de 2011

A HISTÓRIA SE REPETE OUTRA VEZ: Indios voltam a atacar caminhoneiros na BR 226





Nem o governo Federal, e muito menos o estadual, estão se importando com um dos caos mais famosos de nossa região, que vem sendo denunciado há anos. A BR 226 nos trechos que cortam a reserva indígena continua a ação de selvageria e bandidagem praticada por índios que mancham boa parte da classe naquela região.

Na sexta-feira (27), por volta das 16h00min, o motorista de nome Antônio Cicero Dias da Silva de (35) anos, vinha do Porto do Itaqui em São Luís para a cidade de Imperatriz, de onde seguiria para São Paulo, com um caminhão carregado de Farinha de Trigo. A viagem do motorista se transformou em pânico e sufoco, ao chegar à área que compõe a reserva Guajajara. Cicero disse que a cobrança de pedágio, continua sendo feita por Índios, e após passar por varias barricadas e ajudar os Índios com moedas, ele se deparou na próxima com um dos momentos mais difíceis de sua vida.

O caminhão foi abordado por dois Indígenas armados, um com um revolver e o outro usava uma espingarda bate bucha. O motorista foi obrigado a parar, segundo ele após ter puxado o freio de mão do caminhão, um dos Índios, achou que o mesmo iria pegar uma arma, e acabou disparando um tiro no para-brisa do caminhão, o tiro atravessou e atingiu o painel do mesmo. Dento da cabine do carro os documentos e pertences pessoais da vítima foram espalhados, como você ver nas fotos, ainda foi levado R$ trezentos e cinco) reais da vítima.
O motorista disse que só conseguiu escapar por causa de um ônibus, que vinha na BR. Ao perceber a aproximação do ônibus os dois assaltantes, ficaram atarantados, foi quando o mesmo acionou as pressas o caminhão e evadiu-se do local.

Na DP de Grajaú o motorista disse que não morreu, porque o tiro foi abaixo do vidro, e atingiu o painel, mais segundo ele se o disparo tivesse acertado mais ao meio seria em seus peitos.

Ele ainda apresentou para a Polícia, pedaços de chumbo que ficaram espalhados dentro da cabine do caminhão. Nervoso e tremulo o motorista disse que é uma vergonha, trafegar nas BRs que cortam o Maranhão, principalmente na 226.

Disse ainda que, na região sul do Brasil, boa parte dos motoristas não querem passar em nosso estado, devido essa proteção há um grupo que eles consideram de Guajajaras, que eles (motoristas) consideram de marginais.
Destacou ainda que ao voltar de SP convidará os amigos caminhoneiros, para pegarem outra rota que não corte o estado por inteiro.

2 comentários:

  1. Bandidos comuns reincidem nos crimes porque acreditam que não serão punidos, bandidos indígenas reincidem nos crimes porque têm a certeza que não serão punidos..

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde ..olha moro em Ribeirão Preto interior de SP, e costumo viajar com meu marido pelo Brsil todo, quando passamos pelo Maranhão é um sufoco só, muitas lombadas em rodovias, assaltos a qlq hora e não vejo nenhum carro de policia, será que o governo do estado (que me desculpem é uma porcaria) não enxergam isso, vou ser sincera o Maranhão tem uma beleza única pena que o governo é uma porcaria.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...