28 de out de 2010

Professora dava aula de saliência a aluna de 13 anos


A professora de matemática Cristiane Teixeira Maciel Barreiras, de 33 anos, do Rio de Janeiro, foi presa acusada de manter relações sexuais com uma aluna, X., de 13 anos. Cristiane foi presa em flagrante na casa da mãe, em Realengo, logo após passar a noite com a menor, desaparecida desde segunda-feira. A polícia tenta encontrar uma segunda aluna, Y., também de 13 anos, que teria sido outra vítima de Cristiane. A professora e X. mantinham um relacionamento amoroso desde maio.

As investigações começaram após a mãe de X. ter ido à 33ª DP (Realengo) comunicar o desaparecimento da filha, por volta das 17h de terça-feira. A polícia descobriu que já existia um registro de desaparecimento da menor em agosto deste ano e, na ocasião, a principal suspeita era a professora. Mas o registro foi arquivado quando a menina apareceu. O delegado titular da 33ª DP, Ângelo Lages, decidiu ir atrás de Cristiane.

— Fomos até a casa da professora e, ao conversar com o seu marido, descobrimos que ela também estava desaparecida desde segunda-feira. Começamos diligências ininterruptas para tentar capturá-la em flagrante, já que, por conta da lei eleitoral, uma pessoa só pode ser presa em flagrante — explica Ângelo.

Cristiane foi presa às 4h de ontem. Ela tinha acabado de deixar X. perto de sua residência. Na delegacia, as duas confessaram ter um relacionamento. Como o fato havia acabado de acontecer, foi caracterizado flagrante e a professora permanecerá presa. Ela responderá por estupro de vulnerável e corrupção de menores, com um aumento de pena devido à ascendência da professora sobre a aluna. Cristiane pode pegar de 15 a 30 anos de reclusão.

Em depoimento, Cristiane revelou que costumava passear de carro com X. As duas paravam em praças e num motel da Zona Oeste para namorar. Desde maio, elas se encontravam com frequência. Em agosto, a menor teria chamado uma amiga, Y. — também aluna de Cristiane —, para participar dos encontros. Cristiane disse sentir grande atração por X., e afirmou querer continuar se relacionando com a garota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SUPERAÇÃO: Estudante com dislexia e paralisia cerebral se forma em história

Nem mesmo o diagnóstico de paralisia cerebral, a baixa visão e a limitação motora impediram que o jovem Luiz Garcia, 30 anos, realizasse o ...